Pesquisar canções e/ou artistas

19 fevereiro 2010

50. A vida do viajante

Ouvir Luiz Gonzaga é entrar em contato com o Brasil profundo: de crenças, tradições e costumes que passam de pai para filho, sob o sol castigante do sertão nordestino. Ouvir Luiz é voltar à infância, no sentido que a infância tem de ingenuidade e desautomatização; de olhar a vida sem perder de vista a fé no que virá. Ouvir Luiz Gonzaga é aquecer o coração com a esperança (sertaneja) de que o futuro reserva brisas mais amenas para suavizar as dores do agora; é entender o que move o homem do campo em busca de alegria nas grandes capitais do país; é entender o colorido das festas juninas.
A canção "A vida do viajante", de Luiz Gonzaga e Hervê Cordovil, na versão registrada no disco Gonzagão e Gonzaguinha: a vida do viajante (1981), dá o tom exato da herança cultural que Luiz Gonzaga tentava transmitir ao filho. Mais que isso, esta canção se tornou o hino do retirante, do sujeito que, sem suportar as agruras da seca, se mobiliza para um dia descansar feliz.
Por outro lado, cantor e artista, o sujeito de "Vida de viajante", tal e qual o sujeito da canção "Nos bailes da vida", canta seu ofício: cartografa a tarefa de espalhar canções - indo aonde o povo está - para quem sabe um dia encontrar o próprio canto que lhe sossegue a alma errante.
"Quando eu toco, falo, faço arranjo, é tudo com meu sotaque (...) A minha sanfona é parecida comigo", disse Luiz a Dominique Dreyfus, para o livro Vida do Viajante: a saga de Luiz Gonzaga.
Ele cantou uma parte do Brasil que alguns teimam em manter calada. Luiz faz falta. Mas seu cancioneiro está aí para nos acalentar e dizer dessa gente também brasileira, sempre viajante e angariando amizades.

***

A vida do viajante
(Luiz Gonzaga / Hervê Cordovil)

Minha vida é andar
Por esse país
Pra ver se um dia
Descanso feliz
Guardando as recordações
Das terras por onde passei
Andando pelos sertões
E dos amigos que lá deixei

Chuva e sol
Poeira e carvão
Longe de casa
Sigo o roteiro
Mais uma estação
E a saudade no coração

Mar e terra
Inverno e verão
Mostra o sorriso
Mostra a alegria
Mas eu mesmo não
E a alegria no coração

5 comentários:

amador ribeiro neto disse...

o blog ta mt bonito, já te disse.
e cool.
e vc está escrevendo com a síntese do twitter.
isto é bom.
bom demais.
parabéns.

amador

bap@terra.com.br disse...

Muito boa e original a ideia do blog. Leitura interessante e garantida para todos os dias do ano.

E descobri-lo no dia dessa canção de Luiz Gonzaga, de quem sou fã e conterrâneo, foi especial.

Abraços e parabéns,

Paulo Bap

Paulo Bap disse...

Muito boa e original a ideia do blog. Leitura interessante e garantida para todos os dias do ano.

E descobri-lo no dia dessa canção de Luiz Gonzaga, de quem sou fã e conterrâneo, foi especial.

Abraços e parabéns,

Paulo Bap

Nicolle disse...

Gonzagão... nossa,começou o dia muito bem!!!! Dele eu amo mesmo Asa branca e a Volta da Asa Branca .......

abraço

Anônimo disse...

adorei servil ate para o trabalho da escola