Pesquisar canções e/ou artistas

07 junho 2010

158. Felicidade urgente

Elba Ramalho é frevo mulher. Sua presença física no palco desestabiliza qualquer tristeza, põe o corpo para vibrar noutra sintonia, mais feliz. Felicidade urgente (1991), como sugere o título e o domínio vermelho vibrante da capa, é um disco que impõe paixão e afirmação da vida.
A canção "Felicidade urgente", de Cláudio Zoli e Ronaldo Bastos, aponta para uma questão discutida e defendida por Clément Rosset, no livro Alegria: a força maior: a alegria não difere da alegria de viver. Ou seja, quem é alegre não precisa de motivos (externos) para estar alegre. A alegria é desmotivada. O sujeito alegre "é incapaz de dizer o motivo de sua alegria e a natureza daquilo que o enleva". Do mesmo modo que "o melancólico não sabe precisar o motivo de sua tristeza nem a natureza daquilo que lhe falta". É tudo ou nada.
O sujeito da canção, por exemplo, não pontua nenhum motivo exterior para desejar (pedir e gritar) "felicidade urgente para todos nós". Obviamente, apaixonado (pela vida), ele quer fazer o outro feliz (pergunta se o outro está tão feliz quanto ele), para, assim, ser feliz também. No entanto, isso não nega, pelo contrário, evidencia, sua predisposição ao estado de felicidade.
Aqui é preciso deixar claro que a alegria não nega a dor. Ao cantar "a vida me fez deste jeito", o sujeito sugere os perrengues vividos, porém transformados em motores que lhe ajudam a querer seguir a vida. Estas aparentes contradições se auto devoram na constituição e internalização da alegria no interior do sujeito. Ele, nietzschianamente, quer ficar alegre com todas as alegrias (e dores).
"Há na alegria um mecanismo aprovador que tende a ir além do objeto particular que a suscitou", diz Rosset. O sujeito de "Felicidade urgente" (louco pra viver em paz) procura paraísos. Ele sabe (de cor) que querer isso é o melhor para ele (pouca gente tem direito a ser feliz). Ele (Elba figurativiza bem a imagem), no mundo tão imperfeito, fino menino se inclina para o lado do sim, da afirmação da existência.

***

Felicidade urgente
(Cláudio Zoli/ Ronaldo Bastos)

Nunca mais eu vou voltar

Essa estrada é meu destino
Vou seguir a minha vida
Vou achar o meu lugar

Louco pra viver em paz

Eu procuro paraísos
Em lugares esquecidos
Em viagens ao luar

Eu vi a cor, sonhos
E sei de cor, o que é melhor pra mim

A vida me faz desse jeito
O mundo é tão imperfeito
Pouca gente tem direito a ser feliz
O tempo passa de repente
Felicidade urgente para todos
Para todos nós

Quero te fazer feliz
Quero ser feliz também
Com você ta tudo bem?
Ta tudo bem?

Não vou mais olhar pra trás no caminho do infinito
Encontrei uma razão
E me perdi no teu olhar

Eu sempre quis muito mais
Mais do que era preciso
Quis milagres absintos e delírios de prazer

Eu vi a cor, sonhos
Eu seu de cor, o que é melhor pra mim
A vida me fez desse jeito
O mundo é tão imperfeito
Pouca gente tem direito a ser feliz
O tempo passa de repente
Felicidade urgente para todos
Para todos nós

Um comentário:

El Pancho disse...

Bom, já virei leitor cativo!